top of page

Mau hálito estomacal: quais as causas e como tratar esse problema bucal?

Atualizado: 2 de mar. de 2023

Você pode gerenciar seu blog em qualquer lugar com mais facilidade e conveniência. No post desse blog vamos compartilhar dicas de como escrever seu post no Wix Blog.


Várias pessoas sofrem com o problemas de mau hálito. Muitas vezes, elas tomam todas as medidas de higiene necessárias, mas o problema permanece. Em tal caso, é possível que seja mau hálito estomacal. Neste conteúdo, vamos falar mais dessa condição.


Para isso, vamos explicar do que se trata o mau hálito estomacal. Apontaremos quais são as situações gástricas capazes de gerar mau hálito, Além disso, mencionaremos formas de prevenção do problema bucal. Assim, citaremos ainda a importância de entender as causas do mau hálito para tratá-lo adequadamente.


Fique conosco e se livre desse mau cheiro!


Do que se trata o mau hálito estomacal?


O mau hálito é mais comum de ocorrer logo que acordamos, porque durante o sono nossa boca ficou muito sem salivar, e isso promove o aumento de bactérias. Porém, após escovar os dentes e beber água, no decorrer do dia, a boca volta a salivar e o cheiro desagradável diminui gradualmente. Essa é a única situação considerada normal para haver mau hálito.


Se a pessoa tem tal odor na boca, é porque não faz a higienização correta, fuma e bebe frequentemente ou tem algum problema de estômago. A seguir, vamos descrever alguns distúrbios estomacais, capazes de provocar mau hálito.


Úlcera gástrica


Consiste em feridas na parede do estômago, geralmente provocadas devido à má alimentação, fator genético ou ainda pelas mesmas bactérias responsáveis pelo mau hálito.


Tratamento


Para tratá-las, é necessário ver o grau das úlceras. Em casos mais brandos, somente com a mudança da dieta e de maus hábitos, como evitar estresse, bebida e cigarro, é possível eliminá-las. Além disso, podem ser receitados antiácidos. Já se for constatada a presença das bactérias no estômago, o tratamento com antibióticos consegue sanar o problema.


Mas, em situações mais graves, o médico pode precisar cauterizar a ferida estomacal, o que envolve um procedimento mais incisivo. O ideal é procurar um médico especialista para ele verificar o estágio do problema.


Refluxo esofágico


Isso ocorre devido ao ácido gástrico que volta para o esôfago, gerando ardência na garganta, estômago e no peito. Com isso, também ocorre o mau hálito, por conta da do odor do ácido.


Além disso, esse problema provoca o aumento de bactérias na boca e a desmineralização dos dentes, isso os enfraquece. Desse modo, gera um forte odor bucal.


Tratamento


Geralmente também inclui uma mudança na dieta e nos horários de alimentação, como ter refeições sempre duas horas antes de adormecer. Também podem ser recomendados remédios, capazes de melhorar a movimentação no esôfago.


Cáseo


Muitas vezes também decorrente do refluxo, os cáseos são pequenos resíduos de comida que ficam instalados na amígdala, parte da garganta. Como essa estrutura apresenta ondulações nas paredes, a comida já mastigada pode voltar com o refluxo, ou se a pessoa se deitar para dormir menos de duas horas após uma refeição.


Dessa maneira, os restos de comida param na amígdala e permanecem até serem removidos mecanicamente pela garganta, deglutição e saliva. Esses cáseos têm um mau odor que vai até a região bucal, provocando o hálito desagradável.


Tratamento


Geralmente, esse problema não precisa de tratamento, porque a própria movimentação da garganta, mais o consumo de água e a escovação dos dentes consegue eliminar os restos de comida. Quando isso não acontece, a pessoa pode se consultar com um otorrinolaringologista, médico especialista de garganta. Ele pode passar alguma receita com bicarbonato de sódio para fazer gargarejos, dependendo da gravidade do problema.


Se os cáseos foram muito frequentes e não saírem de forma alguma, pode ser indicado remover as amígdalas, mas isso é muito raro.


Como se prevenir do mau hálito provocado?


É necessário ir aodentista e a um médico para, primeiro, identificar qual a origem do mau hálito. Se identificado que o odor ruim realmente parte de problemas estomacais, então, o gastroenterologista segue com o tratamento. Esse é o médico especializado no sistema estomacal e digestivo.


Caso não haja problema de estômago, basta seguir as dicas a seguir.


Higiene bucal


Como já citamos, não cuidar da limpeza dos dentes, língua e demais estruturas afins gera muito mau hálito. Por isso:

  • escove os dentes, pelo menos, três vezes por dia, aplicando a escovação também na língua e parte interna das bochechas;

  • aplique fio dental, ao menos, uma vez no dia, sobretudo antes de dormir, para eliminar os resíduos de comida que a escova não alcança;

  • faça bochecho (não é gargarejo) com enxaguante bucal após passar o fio dental, assim os restos de comidas são removidos completamente.

Hidratação

Manter a região bucal úmida é uma forma de limpá-la levemente e, assim, diminuir o mau cheiro. Por isso, beba água constantemente, principalmente se estiver fora de casa, onde não terá acesso à sua escova. Beber água também vai reduzir as bactérias na boca.


Alimentação

Muitosalimentos são capazes de contribuir com a higienização bucal, como a cenoura, a maçã e o pepino. Mas a maçã deve ser ingerida com a casca, pois esse componente também ajuda a limpar os dentes. Tais alimentos conseguem raspar os dentes diminuindo o acúmulo de micro-organismos que causam mau hálito. Canela, cravo e anis são efetivos também para refrescar o hálito.


Café

Alguns alimentos ajudam, outros, no entanto, não contribuem para um hálito agradável. O café é um desses, porque dificulta a oxigenação e tem um componente que altera o odor da boca. Por essa razão, o ideal é não ingeri-lo ou, pelo menos, reduzir seu consumo.


Visitas ao dentista

É indispensável frequentar a clínica odontológica de seis em seis meses. Esse profissional vai fazer a profilaxia básica, procedimento crucial para manter a higiene bucal. Além disso, ele vai avaliar a situação da boca do paciente e, se necessário, vai tratar os problemas, como cáries e, inclusive, mau hálito.

Como visto, o mau hálito estomacal é um problema existente, mas tratável. Para isso, basta procurar um médico e/ou dentista para verificar a origem do odor bucal degradável. Dessa maneira, cada profissional vai avaliar e dar o tratamento devido, sanando o problema.

5 visualizações0 comentário
bottom of page